terça-feira, 30 de maio de 2017

Sorry, dear

Gosto muito de uma anedota envolvendo o lexicógrafo estadunidense Noah Webster, pai do famoso dicionário que leva seu nome. Flagrando-o na cama com a secretária, sua esposa desabafa:

“-Webster, eu estou surpreendida!” 
Embora em situação desfavorável, o marido não resiste a corrigi-la: 
“-Desculpe, querida, mas você está surpresa. Surpreendido fui eu.”

Lembrei disso ao ler no Valor de hoje (26/5) a seguinte coisa:

"Naquela quarta-feira à noite em que considerou renunciar, Temer sentiu que era alvo de uma indignidade. 'Não vou me submeter a um linchamento político', disse a interlocutores próximos. 'Eu tenho uma biografia', ressaltou, mencionando suas obras de direito constitucional e a quantidade de exemplares vendidos. 'Já dei aula para 50 mil alunos, já fui lido por mais de 400 mil pessoas.'"

Ora, vamos e venhamos: isso não é biografia, é bibliografia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário